Gestão de Pessoas

RH e Gestão de Pessoas: o que você realmente precisa saber?

Escrito por HCM

“Esta é uma função da área de Gestão de Pessoas ou gestão de Recursos Humanos?” Para muitos gestores e colaboradores essa é uma dúvida frequente, principalmente em empresas que possuam os dois departamentos. Mas é inegável reconhecer que as áreas de RH e Gestão de Pessoas desempenham papeis importantes e distintos dentro de uma instituição e, para tanto, é necessário ter conhecimento sobre cada um desses setores.

Confundir RH e Gestão de Pessoas é perdoável, visto que até mesmo especialistas podem divergir sobre o assunto e algumas empresas, inclusive, integram as duas áreas em um único departamento. Mas é importante que o gestor tenha em mente que se trata de duas áreas diferentes.

Nesse sentido, é necessário compreender, em primeiro lugar, que não podemos classificar pessoas como recursos e, para tanto, não podem ser tratadas como tal. Afinal, pessoas não nascem prontas, como afirma um dos sócios da Search Consultoria em RH, Célio Pinto.

Você é um gestor de RH preocupado com a Gestão de Pessoas em sua empresa? Você quer saber o necessário sobre cada uma dessas áreas? Então confira nosso post.

O que é RH?

O setor de Recursos Humanos (RH) é a área da instituição que as pessoas conhecem, principalmente, por ser onde se tem o primeiro e último contato ao entrar e sair de uma empresa.

Mas, o que muitos não sabem é qual a função exata desse setor e a sua importância para a instituição e seus colaboradores. Você deseja conhecer do que se trata o setor de Recursos Humanos e qual o seu papel dentro da empresa? Continue com a gente.

É também conhecido como Departamento Pessoal, Gestão de Pessoas ou Gestão de Recursos Humanos, o RH é a área responsável por conciliar interesses da empresa e dos colaboradores. Dentre as funções principais desse setor estão:

  • seleção de profissionais qualificadas para determinados cargos;

  • administração e monitoração de procedimentos internos e comportamentos;

  • promoção de recursos financeiros;

  • alinhamento de seus funcionários com as políticas da instituição bem como realizar recompensação destes;

  • promoção de treinamentos;

  • cuidado nas relações trabalhistas.

Portanto, setor de RH pode contribuir e muito para o crescimento da instituição de várias formas. Dentre a mais importante é considerado a responsabilidade em ser técnico além de especialista na área que propõe atuar, ou seja, ter profissionalismo. Contudo, ser apenas profissional não é o suficiente, afinal os valores humanos também contribuem de forma significativa para o sucesso e para o crescimento da empresa.

Como surgiu esse setor?

O setor de Recursos Humanos teve origem no final do século XIX, após a Revolução Industrial, com o objetivo de solucionar os conflitos entre os objetivos pessoais dos colaboradores com as metas das empresas.

Em um primeiro momento, a função dessa área era fazer com que a empresa atingisse o máximo de produtividade a partir da adequação das necessidades do ritmo de produção industrial com as necessidades do homem. Contudo, apenas após o surgimento da Teoria das Relações Humanas, na década de 1930, foi descoberto que a produtividade em uma instituição era mais influenciada por fatores psicológicos relacionados aos colaboradores do que por condições ambientais e físicas.

A partir daí, o setor de Recursos Humanos passou a ser estruturado de forma mais semelhante à qual conhecemos hoje, com um foco maior nos colaboradores do que em produtividade.

Desde então, questões como objetivos, desenvolvimento dos funcionários e ambições entraram em pauta nas empresas, que passaram a incorporar esses aspectos à gestão de RH.

O que o RH representa para as empresas?

Esse setor é uma parte vital em qualquer corporação e constitui uma peça-chave para o sucesso de qualquer empresa. Ele é o responsável por gerir funcionários e pelos relacionamentos internos, além de realizar o recrutamento do corpo de profissionais.

Devido a essas responsabilidades, o setor de RH possui uma missão estratégica dentro das corporações. Assim, se o setor não é perspicaz ao selecionar os profissionais mais adequados, a produtividade e crescimento da empresa ficam comprometidos.

Nesse contexto, também fica a cargo do RH a identificação e formação de líderes, isso sem contar o desligamento de colaboradores quando necessário. Assim, é essencial que os profissionais ligados à área possuam muita desenvoltura para promover os funcionários certos e solucionar conflitos.

Além disso, o RH contribui para o desenvolvimento profissional de seus funcionários, com o objetivo de os tornarem mais capazes de resolver problemas, mais eficazes e motivados e, como consequência, fazê-los trazer mais resultados para a corporação, o que facilita que as metas da empresa sejam atingidas em um prazo menor e com excelência.

O que é a Gestão de Pessoas?

O conceito de Gestão de Pessoas envolve a associação de políticas, técnicas e práticas definidas, habilidades e métodos, com a função de gerenciar os comportamentos internos para potencializar o capital humano nas instituições.

Para tanto, a Gestão de Pessoas ocorre por meio da capacitação, participação, desenvolvimento e envolvimento de profissionais da empresa, e tem a tarefa de humanizar o ambiente profissional. Na maioria das vezes, a Gestão de Pessoas é confundida com o setor de RH, porém, este último representa os mecanismos e a técnica que o gestor utiliza enquanto que a Gestão de Pessoas tem como meta a valorização dos funcionários.

Em uma corporação, a Gestão de Pessoas deve ser realizada por gestores e diretores, visto que é uma área na qual exige capacidade de liderança.

Dessa forma, a área de Gestão de Pessoas é dotada de grande responsabilidade na formação dos colaboradores, e tem como objetivo colaborar e desenvolver para o crescimento da corporação e do próprio profissional.

Em geral, a Gestão de Pessoas ainda está associada a um paradigma mecanicista e absorveu pouco do paradigma holístico, que abrange de forma mais profunda as áreas de atuação humana. Com o objetivo da melhoria contínua do processo de Gestão de Pessoas que vem sendo realizado por várias empresas, foram estabelecidas algumas ações que, no contexto da visão holística, todas são igualmente responsáveis pelo sucesso da empresa. Seguem abaixo algumas delas:

  • promoção de integração maior entre os departamentos da organização;

  • criação de uma consciência profissional nas equipes de trabalho, a fim de proporcionar meios para resgatar a autoestima;

  • intensificação do treinamento;

  • investimento no desenvolvimento pessoal e profissional não apenas por meio de cursos, mas também de inovações na dinâmica de trabalho;

  • permissão para que o funcionalismo busque seu crescimento profissional próprio;

  • reconhecimento por meio de elogios ou prêmios, fornecimento de feedback quanto ao desempenho;

  • busca da interação do funcionário com a comunidade, a fim de dar ênfase à responsabilidade social da instituição e do trabalho de cada funcionário;

  • criação de ambientes de trabalho agradáveis e seguros;

  • avaliação constante da satisfação pessoal e do bem-estar dos colaboradores;

  • disponibilização de recursos (tecnológicos, materiais, equipamentos, dentre outros) primordiais para a execução do trabalho;

  • promoção de um clima organizacional positivo que inclua o estímulo e estabelecimento das relações interpessoais;

  • intensa instrução e formação concentrada nas capacidades essenciais da instituição;

  • divulgação de objetivos e propósitos;

  • estímulo ao investimento pessoal do colaborador;

  • sinalização da continuação do trabalho;

  • contabilização dos resultados de forma sistemática;

  • adequação de práticas de treinamento com a necessidade individual dos funcionários.

Afinal, como se integram o RH e Gestão de Pessoas?

Atualmente, com os avanços observados, as instituições tiveram que buscar formas novas de gestão, com o objetivo de alcançar resultados, melhorar o desempenho e conquistar o atendimento pleno dos clientes e suas necessidades. Percebeu-se também que o sucesso das instituições depende essencialmente do investimento no corpo profissional, a partir da identificação, aproveitamento e desenvolvimento dos recursos intelectuais.

Nesse sentido, em um mercado cada vez mais competitivo, notou-se que a real vantagem diante da concorrência não estaria relacionada apenas aos altos investimentos em tecnologia. Outros aspectos também seriam igualmente relevantes para o profissional que movimenta e mantém todo o cotidiano da empresa.

Assim, a área de RH representava um mero departamento mecanicista responsável por cuidar da contratação de profissionais além da folha de pagamento, que exigiam desse setor apenas experiência e técnica, sem a existência de programa que capacitasse continuamente os profissionais.

Nesse contexto surgiu o modelo de Gestão de Pessoas, caracterizada pela capacitação, participação e desenvolvimento do capital humano da organização que nada mais é que os colaboradores da empresa. Assim, cabe a área de Gestão de Pessoas a função de humanizar a corporação. E essa, ainda, é uma questão muito atual na área de Gestão, mas que é um discurso para muitas organizações que ainda não implementaram na prática.

Dessa forma, fica sob competência do RH planejar, promover, controlar e coordenar as atividades desenvolvidas que se relacionam à seleção, capacitação, orientação, qualificação bem como avaliação de desempenho funcional e comportamental, assegurando o acompanhamento do corpo profissional da instituição como um todo.

E também é incluído em suas funções as atividades relativas à segurança no ambiente de trabalho da instituição e preservação da saúde do trabalhador.

Logo, é importante que o gestor de RH e o colaborador desenvolvam habilidades e competências relacionadas a todas essas funções. Isso porque elas envolvem elementos da personalidade das pessoas aplicados à prática profissional. Ou seja, representa um processo que integra as características individuais e as qualidades necessárias para o cargo que o funcionário ocupa.

E é na da área de Gestão de Pessoas que vem surgindo a geração de profissionais focados nos negócios e suas relações, ocupando cargos, substituindo perfis que não agregam valor à instituição, o que evidencia um período de transição no qual paradigmas, processos e paredes estão caindo por terra.

Portanto, o que diferencia o RH e Gestão de Pessoas é justamente a gestão estratégica dos funcionários abordada por esse novo modelo de administração. Assim, ela é responsável pela visão holística e sistêmica sobre todos os processos organizacionais bem como das pessoas na relação com o trabalho, em outras palavras, proporciona uma visão integral de toda a gestão.

Como implementar o modelo de Gestão de Pessoas?

Há algumas premissas básicas para estabelecer um ambiente de trabalho satisfatório, que consiste em uma das preocupações da Gestão de Pessoas e que devem ser adotadas por todos na instituição. Seguem abaixo:

  • adotar uma filosofia social baseada em inspiração humanística: “o ser humano é o sujeito, fundamento e fim da vida social”;

  • reconhecer o mais importante recurso estratégico para o sucesso e desenvolvimento institucional que é o potencial humano;

  • comprometer e envolver todos os colaboradores no trabalho para melhoria do serviço prestado, tendo ênfase na participação deles na gestão;

  • reconhecer a necessidade de profissionalizar e capacitar o colaborador para que ele trabalhe e utilize seu potencial pleno de modo convergente e coerente com as metas estratégicas da corporação;

  • manter esforços para criar e manter uma cultura organizacional que leve ao crescimento institucional e individual e à excelência do desempenho;

  • reconhecer que determinados elementos sociais, como cidadãos e as instituições públicas e privadas são clientes em potencial da instituição;

  • centralizar o foco das atividades da corporação nos clientes, procurando conhecê-los e relacionar-se com eles para saber o nível de satisfação de seu público-alvo com a empresa.

Além dessas premissas é essencial investir em aspectos pontuais. Você deseja saber quais são? Acompanhe nos subtítulos a seguir.

Treinamento

Outro aspecto importante é investir em treinamento visto que representa o maior fator crítico de sucesso. E para que isso aconteça, é preciso coordenar e formular a execução de um planejamento de capacitação anual com foco no desenvolvimento do funcionário, além de compatível com os recursos disponíveis e com as necessidades da instituição.

É interessante também desenvolver ações direcionadas para a formação de gerentes com postura participativa, para capacitá-los quanto ao exercício do papel de estimulador e orientador do desempenho e desenvolvimento dos colaboradores.

Ter em mãos instrumentos de avaliação da satisfação dos colaboradores bem como possuir os indicadores organizacionais também são importantes para ter um feedback do treinamento instituído.

Ambiente de trabalho

Um fator que ajuda a desenvolver e manter um ambiente mais agradável na instituição consiste em refletir sobre os aspectos comportamentais, estruturais e operacionais que envolvem o gerenciamento de pessoas, ou seja, compreender as pessoas e a instituição.

Outro aspecto que contribui para a melhora no ambiente é instrumentalizar as pessoas para que seja viável a tomada de decisão mais certeira, por meio do desenvolvimento de outras práticas como os valores éticos, morais, humanos e solidários.

Gestão estratégica

Os objetivos da gestão estratégica de pessoas devem estar bem definidos e claros para o sucesso da empresa. E um desses objetivos, com certeza, é ajudar a empresa a executar seu trabalho com êxito, bem como motivar tanto o colaborador quanto a gestão, mostrando que esta relação é de dependência mútua.

Justamente essa motivação é que garantirá a qualidade das ações desenvolvidas. Para tanto, é necessário que haja reflexão, tanto por parte do funcionário quanto da empresa, se o serviço que está sendo executado lhe agrada, pois nessa situação está em jogo tanto a felicidade e a realização pessoal quanto a função que ocupa e o emprego.

Nesse contexto, o gestor de pessoas sempre deve ter uma perspectiva das metas desejadas pela empresa e, por isso, é essencial um planejamento estratégico organizacional. O que não ocorre sem a colaboração e participação de todos na instituição, ou seja, a responsabilidade é coletiva e, para tanto, o espírito de equipe é primordial.

Outro ponto da gestão estratégica relaciona ao desenvolvimento da qualidade de vida de seus colaboradores, tendo em vista não só a motivação da pessoa humana e a produtividade, como também o próprio bem-estar social que este indivíduo merece. Em outras palavras, assegurar o reconhecimento não só salarial, mas também nas próprias ações pessoais e trabalhistas dos colaboradores.

Perfil do gestor

O gestor deve ser dotado de uma opinião própria e um espírito crítico, além de grande capacidade de ser flexível, visto que, com a globalização, ocorrem grandes e rápidas transformações sociais. Dessa forma, é necessário ter postura para solucionar problemas e conflitos presentes com frequência na realidade da empresa.

Nesse sentido, o gestor na área de Gestão de Pessoas deve ser um facilitador a fim de que as relações interpessoais ocorram de acordo com os princípios e a missão da corporação.

Motivação

Esse será o diferencial que vai impulsionar no colaborador o espírito de socialização bem como de trabalho em equipe e, em seguida, o que gera crescimento tanto social como pessoal, sem contar para a própria empresa também. Motivar o funcionário vai fazer com que ele se torne mais parceiro da empresa e não apenas empregado, o que conduz a empresa ao sucesso.

Para tanto, um dos maiores obstáculos para o crescimento corporativo e empresarial é a ausência de pessoas eficientes, a falta de motivação, a perda de entusiasmo, o que, na maioria dos casos, seria contornado com pequenas ações que valorizassem o quadro pessoal.

Portanto, é preciso lembrar que o gestor está lidando com pessoas e não com meras máquinas ou instrumentos. Nesse ponto, a Gestão de Pessoas surgiu como complemento ao RH.

O que é e qual a importância do RH Estratégico?

Durante muito tempo o setor de RH foi visto somente como uma área administrativa responsável por cuidar de processos burocráticos dentro da instituição, e que se relacionasse com a gestão de benefícios, a admissão, o desligamento, dentre outros.widget-blog

Porém, atualmente, este é um conceito cada vez mais distante das instituições modernas, nas quais o RH atua de forma significativa para que a empresa atinja suas metas.

Contudo, no fim das contas, o que é RH estratégico? Confira abaixo os principais itens que tornam um setor de RH estratégico.

Visão panorâmica e estratégica do negócio

Este é um dos primeiros passos e um dos mais importantes para que o setor de RH seja considerado estratégico, afinal, é primordial conhecer a empresa ao fundo. Assim, saber qual é o modelo de gestão específico, conhecer quais são as dificuldades e as metas das áreas operacionais e compreender a cultura da empresa.

Apesar de tudo isso parecer básico, não é. E grande parte dos gestores de Recursos Humanos não se preocupam com essas questões, o que afeta de forma direta a maneira como o setor atua.

Analisar dados

Várias áreas de empresas já foram revolucionadas com essa medida. Nesse sentido, a logística é controlada por indicadores sem fim; as vendas, por métricas, e as finanças produzem mais variadas formas de análise.

Logo, na Gestão de Pessoas isso não seria diferente. Assim, os softwares de última geração devem ser empregados para muito além de um simples controle. Eles devem ser capazes de reproduzir informações que sejam relevantes para as instituições e para a sua estratégia.

Agente de transformação

A atuação do RH estratégico não deve restringir apenas a reação, ou seja, optar por alguma decisão apenas quando é solicitado ou quando acontece algum evento no qual precise agir. Nesse sentido, a Gestão de Pessoas entra em atuação não somente no ambiente, como também nas relações de trabalho ou em alguma situação que incentive os colaboradores a atuarem da melhor forma possível.

Portanto, manter a atenção para estas mudanças pode resultar no sucesso da sua empresa a médio prazo. Para tanto, é importante parar e refletir sobre como o seu RH se encontra estruturado e se, realmente, é um agente que contribui para o sucesso da instituição no geral.

Portanto, RH e Gestão de Pessoas são áreas que desempenham papéis diferentes dentro de uma empresa, porém, igualmente relevantes. Para tanto, é interessante com as ações referentes a cada um desses setores estejam sempre bem definidas e claras, para que nenhuma delas fique sobrecarregada.

Associado a isso, é importante também que o RH tenha ciência de seu papel estratégico dentro da instituição, visto que, nos dias de hoje, é notável que o papel desse setor ultrapassa apenas a função de administração.

Além disso, é necessário ressaltar a atuação do setor de Gestão de Pessoas como responsável pelo incentivo ao desenvolvimento do profissional ao longo da atuação deste dentro da instituição. Por isso, esse setor deve ser fortalecido dentro da corporação.

E para se focar no que realmente interessa, é de se avaliar a terceirização de alguns serviços. 

A HCM Consulting possui uma equipe altamente capacitada e com experiência de mercado que você pode contar. Conheça agora o nosso serviço de Terceirização da Folha de pagamento  e garanta, também, a entrega dos dados para o eSocial de forma correta.

Nosso conteúdo foi relevante para você? Você deseja se informar mais sobre como otimizar o RH e a Gestão de Pessoas em sua empresa? Então assine já nossa newsletter e fique por dentro de todos os conteúdos sobre gestão e afins.

cta-blog

Sobre o autor

HCM

O Grupo HCM presta serviços atualmente em duas linhas de negócios: HCM Consulting e HCM Terceirização.

HCM Consulting: Serviço de consultoria, desenvolvimento, capacitação e desenho de processo no produto Totvs HCM – Linha Datasul. Além disso somos especialistas em eSocial tendo solução própria de Mensageria.

HCM Terceirização: Possuímos uma estrutura robusta para o processamento da folha de pagamento. Atendendo a todos os ERPs do mercado, garantimos o atendimento das obrigações legais e recolhimento dos tributos, incluindo principalmente as exigências do eSocial.

E vamos além, fornecemos uma completa tecnologia de acesso as informações através de ferramentas web que permitem que os gestores vejam os dados de sua equipe, como organograma, programação de férias, gestão do ponto, entre outros. O próprio colaborador tem acesso ao Envelope de Pagamento Digital, Informe de Rendimento, Solicitação de Férias e Banco de Horas.

2 comentários

Deixar comentário.

Share This